1. Preocupado com Trump, Biden fará discurso sobre ataques à democracia  VEJA
  2. Biden visita Filadélfia, berço dos EUA, para atacar apoiadores de Trump  UOL Confere
  3. Biden fará discurso no horário nobre sobre 'batalha' pela democracia  Correio Braziliense
  4. Em campanha, Biden exige ação contra violência armada nos EUA  UOL Confere
  5. Ver cobertura completa no Google Notícias
Presidente americano acredita que essa é a hora de atacar de maneira mais direta extremistas que apoiam retórica do ex-presidente, segundo assessoresPresidente americano acredita que essa é a hora de atacar de maneira mais direta extremistas que apoiam retórica do ex-presidente, segundo assessores

Preocupado com Trump, Biden fará discurso sobre ataques à democracia | VEJA

O presidente americano, Joe Biden, exortará os americanos a "defender" a democracia, pois não está "garantida", segundo trechos do discurso que fará na Filadélfia na noite desta quinta-feira (1). "Durante mO presidente americano, Joe Biden, exortará os americanos a "defender" a democra...

Biden pede defesa da democracia dos EUA em discurso anti-Trump - 01/09/2022 - UOL Notícias

gauchazh.clicrbs.com.br

Segundo a Casa Branca, o presidente norte-americano falará sobre a posição do país em temas globais; acompanhe no Poder360Segundo a Casa Branca, o presidente norte-americano falará sobre a posição do país em temas globais; acompanhe no Poder360

Ao vivo: Joe Biden faz pronunciamento

O presidente americano, Joe Biden, exortará os americanos a "defender" a democracia, pois não está "garantida", segundo trechos do discurso que fará na Filadélfia na noite desta quinta-feira (1).O presidente americano, Joe Biden, exortará os americanos a "defender" a democracia, pois não está "garantida", segundo trechos do discurso que fará na Filadélfia na noite desta quinta-feira (1).

Biden pede defesa da democracia dos EUA em discurso anti-Trump

O presidente americano, Joe Biden, exortará os americanos a "defender" a democracia, pois não está "garantida", segundo trechos do discurso que fará na Filadélfia na noite desta quinta-feira (1).O presidente americano, Joe Biden, exortará os americanos a "defender" a democracia, pois não está "garantida", segundo trechos do discurso que fará na Filadélfia na noite desta quinta-feira (1).

Biden pede defesa da democracia dos EUA em discurso anti-Trump

A Casa Branca não poupou simbolismos: na Filadélfia, berço dos Estados Unidos, o presidente Joe Biden fará um inusitado discurso em horário nobre nesta quinta-feira (1º) para atacar os apoiadores de Donald Trump que, segundo ele, deA Casa Branca não poupou simbolismos: na Filadélfia, berço dos Estados Unidos, o president...

Biden visita Filadélfia, berço dos EUA, para atacar apoiadores de Trump - Notícias - BOL

Presidente dos EUA acusa republicanos de não regularem o acesso às armas por receio do poderoso lóbiPresidente dos EUA acusa republicanos de não regularem o acesso às armas por receio do poderoso lóbi

Joe Biden declara guerra às armas de assalto | Euronews

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, visita nesta terça-feira (30) a Pensilvânia para falar sobre segurança e armas de fogoO presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, visita nesta terça-feira (30) a Pensilvânia para falar sobre segurança e armas de fogo

Biden falará na Pensilvânia sobre segurança e armas de fogo nos EUA | Mundo: Diario de Pernambuco

Just a moment...

Ao falar para uma multidão na Universidade Wilkes, o presidente Joe Biden deixou claro que apoia a aplicação da lei e rejeitou os pedidos para retirar osAo falar para uma multidão na Universidade Wilkes, o presidente Joe Biden deixou claro que apoia a aplicação da lei e rejeitou os pedidos para retirar os

Atualizações ao vivo do plano de controle de armas de Biden: Biden relembra Uvalde emocionalmente - ETC E POP!

Just a moment...

A conversa virá em uma semana Depois que o presidente voltou à campanha com um discurso inflamado, ele repreendeu mais duramente os republicanos que seA conversa virá em uma semana Depois que o presidente voltou à campanha com um discurso inflamado, ele repreendeu mais duramente os republicanos que se

Biden fala sobre a 'batalha contínua pela alma da nação' na quinta-feira

Just a moment...

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, prometeu proibir armas de assalto e financiar ...O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, prometeu proibir armas de assalto e financiar ...

Em campanha, Biden exige ação contra violência armada nos EUA

economiaempauta.com

Just a moment...

g7.news

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, fará um discurso no horário nobre "sobre a batalha contínua pela alma da nação" na quinta-feira, 1º deO presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, fará um discurso no horário nobre “sobre a batalha contínua pela alma da nação” na quinta-feira, 1º de setembro, do lado de fora do Independence Hall, na Filadélfia, informou a Casa Branca nesta segunda-feira, 29. Anunciado como um importante discurso pouco mais de dois meses antes das eleições […]

Biden fará discurso no horário nobre sobre 'batalha' pela democracia

Just a moment...

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, visita nesta terça-feira (30) a Pensilvânia para falar sobre segurança e armas de fogo, na primeira de três viagens a esse estado-chave para as eleições legislativas de novembro. Biden prometeu na quinta-feira pronunciar um discurso sobre a necessidade de salvar a “alma” dos Estados Unidos na Filadélfia, cidade […]

Biden falará na Pensilvânia sobre segurança e armas de fogo nos EUA - ISTOÉ DINHEIRO

Just a moment...

Just a moment...

Just a moment...

Just a moment...

Just a moment...

O presidente americano, Joe Biden, exortará os americanos a defender a democracia, pois não está garantida , segundo trechos do discurso que fará na Filadélfia na noite desta quinta-feira (1). Durante muito tempo, temos dito a nós mesmos que a democracia americana está garantida. Mas não está. Temos que defendê-la. Protegê-la. Todos e cada um de nós , diz o texto divulgado pela Casa Branca. O discurso do presidente, marcado para as 20h00 (21h00 no horário de Brasília), acontecerá perto do prédio onde a Declaração de Independência e a Constituição dos Estados Unidos foram adotadas há mais de dois séculos. Biden usará o horário nobre para investir contra os apoiadores de Donald Trump que, segundo ele, degradam a alma do país. As forças do MAGA (Make America great Again) estão decididas a fazer este país retroceder. Retroceder a um Estados Unidos da América onde não haja direito à escolha, à privacidade, à anticoncepção, nem o direito a se casar com quem se ama , diz o texto do discurso. O presidente tenta impulsionar seu Partido Democrata antes das eleições de meio de mandato, em novembro, nas quais está em jogo o controle do Congresso. - MAGA - A porta-voz da Casa Branca, Karine Jean-Pierre, já disse que o presidente democrata de 79 anos não fará rodeios na hora de atacar seus oponentes republicanos. O presidente acredita que há uma ameaça extremista à nossa democracia , afirmou. E essa ameaça tem um nome: republicanos MAGA ou ultra-MAGA , que aderem à ideologia Make America Great Again do ex-presidente Donald Trump. Biden nunca recua quando se trata de falar do antecessor, mas este não é um discurso sobre o ex-presidente , garantiu Jean-Pierre durante sua coletiva de imprensa diária. O presidente também tentará ser otimista , completou: Quando falamos em extremismo, isso diz respeito apenas a uma parte muito pequena da população americana . Em 2017, Biden escreveu para a revista The Atlantic: Estamos vivendo uma batalha pela alma desta nação . Na época, uma manifestação de supremacistas brancos aconteceu em Charlottsville, no estado da Virgínia (sul), deixando um morto e dezenas de feridos. Após sua eleição em 2020, o político veterano inicialmente considerou travar essa batalha por meio do diálogo com legisladores republicanos moderados e por meio de reformas pró-classe média. No entanto, a retórica da reconciliação logo foi silenciada. - Pesquisas - De acordo com uma pesquisa publicada nesta quinta-feira pelo Wall Street Journal, caso as eleições legislativas de meio de mandato fossem realizadas hoje, 47% dos eleitores estariam inclinados a votar nos democratas, contra 44% para os republicanos. Em março, a direita tinha uma vantagem de 5 pontos percentuais. Os democratas sonham com uma façanha nessa eleição, que renova a totalidade da Câmara dos Representantes e um terço do Senado e é tradicionalmente desfavorável para o partido no poder. O debate político mudou desde o começo do verão no hemisfério norte. A inflação diminuiu, o que possibilitou a Biden promover uma série de reformas e anunciar a morte do líder da Al-Qaeda em um ataque americano. O suficiente para enfrentar dois grandes eixos da campanha republicana: a queda do poder aquisitivo e a fragilidade do presidente mais idoso da história do país. Várias pesquisas mostram bons desempenhos dos democratas em questões como a defesa do direito ao aborto e avanços sociais, onde os republicanos agora são amplamente vistos como reacionários. Também se destacam pela preocupação com a democracia e a rejeição da violência política, aspectos em que a figura de Trump invariavelmente aparece. O Partido Democrata ainda terá dificuldade em manter o controle da Câmara dos Representantes, mas espera preservar sua maioria no Senado e a Pensilvânia será crucial para que isso aconteça. Biden já viajou para aquele estado na terça-feira e retornará na próxima segunda-feira para comemorar o Dia do Trabalho com o candidato democrata ao Senado John Fetterman. Trump também irá para a Pensilvânia no sábado para apoiar seu candidato nesta corrida, Mehmet Oz.O presidente americano, Joe Biden, exortará os americanos a "defender" a democracia, pois não está "garantida", segundo trechos do discurso que fará na Filadélfia na noite desta quinta-feira (1). "Durante muito tempo, temos dito a nós mesmos que a democracia americana está garantida. Mas não está. Temos que defendê-la. Protegê-la. Todos e cada um de nós", diz o texto divulgado pela Casa Branca. O discurso do presidente, marcado para as 20h00 (21h00 no horário de Brasília), acontecerá perto do prédio onde a Declaração de Independência e a Constituição dos Estados Unidos foram adotadas há mais de dois séculos. Biden usará o horário nobre para investir contra os apoiadores de Donald Trump que, segundo ele, degradam a "alma" do país. "As forças do MAGA (Make America great Again) estão decididas a fazer este país retroceder. Retroceder a um Estados Unidos da América onde não haja direito à escolha, à privacidade, à anticoncepção, nem o direito a se casar com quem se ama", diz o texto do discurso. O presidente tenta impulsionar seu Partido Democrata antes das eleições de meio de mandato, em novembro, nas quais está em jogo o controle do Congresso. - "MAGA" - A porta-voz da Casa Branca, Karine Jean-Pierre, já disse que o presidente democrata de 79 anos não fará rodeios na hora de atacar seus oponentes republicanos. "O presidente acredita que há uma ameaça extremista à nossa democracia", afirmou. E essa "ameaça" tem um nome: republicanos "MAGA" ou "ultra-MAGA", que aderem à ideologia "Make America Great Again" do ex-presidente Donald Trump. Biden "nunca recua quando se trata de falar do antecessor, mas este não é um discurso sobre o ex-presidente", garantiu Jean-Pierre durante sua coletiva de imprensa diária. O presidente também tentará ser "otimista", completou: "Quando falamos em extremismo, isso diz respeito apenas a uma parte muito pequena da população americana". Em 2017, Biden escreveu para a revista The Atlantic: "Estamos vivendo uma batalha pela alma desta nação". Na época, uma manifestação de supremacistas brancos aconteceu em Charlottsville, no estado da Virgínia (sul), deixando um morto e dezenas de feridos. Após sua eleição em 2020, o político veterano inicialmente considerou travar essa batalha por meio do diálogo com legisladores republicanos moderados e por meio de reformas pró-classe média. No entanto, a retórica da reconciliação logo foi silenciada. - Pesquisas - De acordo com uma pesquisa publicada nesta quinta-feira pelo Wall Street Journal, caso as eleições legislativas de meio de mandato fossem realizadas hoje, 47% dos eleitores estariam inclinados a votar nos democratas, contra 44% para os republicanos. Em março, a direita tinha uma vantagem de 5 pontos percentuais. Os democratas sonham com uma façanha nessa eleição, que renova a totalidade da Câmara dos Representantes e um terço do Senado e é tradicionalmente desfavorável para o partido no poder. O debate político mudou desde o começo do verão no hemisfério norte. A inflação diminuiu, o que possibilitou a Biden promover uma série de reformas e anunciar a morte do líder da Al-Qaeda em um ataque americano. O suficiente para enfrentar dois grandes eixos da campanha republicana: a queda do poder aquisitivo e a fragilidade do presidente mais idoso da história do país. Várias pesquisas mostram bons desempenhos dos democratas em questões como a defesa do direito ao aborto e avanços sociais, onde os republicanos agora são amplamente vistos como reacionários. Também se destacam pela preocupação com a democracia e a rejeição da violência política, aspectos em que a figura de Trump invariavelmente aparece. O Partido Democrata ainda terá dificuldade em manter o controle da Câmara dos Representantes, mas espera preservar sua maioria no Senado e a Pensilvânia será crucial para que isso aconteça. Biden já viajou para aquele estado na terça-feira e retornará na próxima segunda-feira para comemorar o Dia do Trabalho com o candidato democrata ao Senado John Fetterman. Trump também irá para a Pensilvânia no sábado para apoiar seu candidato nesta corrida, Mehmet Oz.

www.swissinfo.ch

Just a moment...

Just a moment...

Just a moment...

Just a moment...

Just a moment...

Just a moment...

Just a moment...

Just a moment...