1. Chefe da ONU condena ataque de capacetes-azuis com mortos na República Democrática do Congo  R7
  2. Secretário da ONU critica forças de paz por mortes na República Democrática do Congo  UOL
  3. Disparos de capacetes azuis na RD Congo deixam dois mortos na fronteira com Uganda  Estado de Minas
  4. Guterres indignado com morte de duas pessoas em incidente com "capacetes azuis" na República Democrática do...  SAPO 24
  5. Ver cobertura completa no Google Notícias

noticias.r7.com

Por Stanis Bujakera KINSHASA (Reuters) - Soldados que voltavam de licença para uma brigada de intervenção das Nações Unidas na República Democrática do Congo abriram fogo em um posto de fronteira, matando pelo menoPor Stanis Bujakera KINSHASA (Reuters) - Soldados que voltavam de licença...

Brigada da ONU no Congo abre fogo em posto de fronteira e mata dois - 31/07/2022 - UOL Notícias

gauchazh.clicrbs.com.br

Access Denied

Episódio aumenta pressão de congoleses sobre Nações Unidas; protestos já deixaram 20 mortosEpisódio aumenta pressão de congoleses sobre Nações Unidas; protestos já deixaram 20 mortos

Forças da ONU matam 2 na República Democrática do Congo - 31/07/2022 - Mundo - Folha

Conhecidos como Monusco, militares da brigada abriram fogo por razão não explicadasConhecidos como Monusco, militares da brigada abriram fogo por razão não explicadas

Força de paz da ONU admite tiroteio fatal na RDC | Mundo e Ciência | O Dia

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O secretário-geral da ONU, António Guterres, disse que ficou "indignado" com a morte de duas pessoas pelas forças de paz daSÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O secretário-geral da ONU, António Guterres, disse que ficou "indignado" com a morte de duas pessoas pelas forças de paz da

Secretário da ONU critica forças de paz por mortes na República Democrática do Congo

www.rtp.pt

Os protestos violentos contra a MONUSCO na RDC já fizeram mais de 20 mortos. Os relatos sobre as mortes divergem. Analista aponta que a saída imediata da missão de paz da ONU do país "deixaria um vazio na segurança".Os protestos violentos contra a MONUSCO na RDC já fizeram mais de 20 mortos. Os relatos sobre as mortes divergem. Analista aponta que a saída imediata da missão de paz da ONU do país "deixaria um vazio na segurança".

RDC: Saída da MONUSCO ″deixaria um vazio na segurança da região″ | Internacional – Alemanha, Europa, África | DW | 29.07.2022

Just a moment...

Em rebelião contra a ocupação do Congo pelas tropas imperialistas da ONU, as massas aniquilaram três soldados reacionários e expulsaram as tropas de um dos bairros rebelados. A ação ocorreu como parte de grandes mobilizações ocorridas no país africano nos dias 25, 26 e 27 de julho, onde centenas de manifestantes se reuniram nas cidades de Goma, Butembo e Uvira, para exigir a saída das tropas da Organização das Nações Unidas (ONU) do país. Os manifestantes entoaram gritos de ordem contra o organismo imperialista, apedrejaram os prédios da organização e invadiram uma sede logística em Goma, onde saquearam computadores e incendiaram objetos em frente ao prédio. Em Butembo, a rebelião popular forçou a expulsão de tropas.Centenas no Congo exigem saída das tropas coloniais do organismo imperialista ianque. Foto: Glody Murhabazi/Agence France-Presse Em rebelião contra a ocupação do Congo pelas tropas imperialistas da O

Congo: Resistência Nacional aniquila três militares da ONU comandados por general brasileiro - A Nova Democracia

DomTotal - A revista digital mais completa do BrasilManifestantes entraram no quartel-general da Monusco, quebrando janelas e paredes, e roubando computadores, móveis e objetos de valor

Instalações de missão da ONU na RD do Congo são alvo de saques

Secretário-geral disse que a organização se compromete a atuar com autoridades congolesas na investigação dos incidentes; agências de notícias informaram que manifestações em complexos das forças internacionais em Kivu do Norte já mataram cinco civis e provocaram 50 feridos. |Secretário-geral disse que a organização se compromete a atuar com autoridades congolesas na investigação dos incidentes; agências de notícias informaram que manifestações em complexos das forças

Boinas-azuis morrem em protestos violentos na República Democrática do Congo | ONU News

A ONU denunciou um novo ataque realizado na quinta-feira com bombas incendiárias artesanais contra uma base da Monusco, a sua missão na República Democrática do Congo (RDCongo), na cidade de Beni. - ImpalaA ONU denunciou um novo ataque realizado na quinta-feira com bombas incendiárias artesanais contra uma base da Monusco, a sua missão na República Democrática do Congo (RDCongo), na cidade de Beni. - Impala

ONU denuncia novo ataque contra uma base da sua missão na RDCongo - Impala

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O secretário-geral da ONU, António Guterres, disse que ficou "indignado" com a morte de duas pessoas pelas forças de paz da organização na República Democrática do Congo. O incidente ocorreu neste domingo (31), no posto de controle de Kasindi, na fronteira com a Uganda. Segundo as Nações Unidas, militares atiraram contra as vítimas "por razões não explicadas". Outras 15 pessoas se feriram, sendo que algumas...SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O secretário-geral da ONU, António Guterres, disse que ficou "indignado" com a morte de duas pessoas pelas forças de paz da organização na República Democrática do Congo. O incidente ocorreu neste domingo (31), no posto de controle de Kasindi, na fronteira com a Uganda. Segundo as Nações Unidas, militares atiraram contra as vítimas "por razões não explicadas". Outras 15 pessoas se feriram, sendo que algumas...

Secretário da ONU critica forças de paz por mortes na República Democrática do Congo

Pelo menos cinco pessoas morreram em Goma, no leste da República Democrática do Congo (RDC), onde ocorrem pelo segundo dia manifesta&ccePelo menos cinco pessoas morreram em Goma, no leste da República Democrática do Congo (RDC), onde ocorrem pelo segundo dia manifesta&cce

Cinco manifestantes morrem em protesto contra missão da ONU na RDC | Mundo: Diario de Pernambuco

Attention Required! | Cloudflare

Uma coluna de 'capacetes azuis' das Nações Unidas abriu fogo contra um posto fronteiriço entre a República Democrática do Congo (RDC) e o Uganda, incidente que resultou em pelo menos dois mortos, segundo a agência AFP. 

Pelo menos 2 mortos a tiro por 'capacetes azuis' entre RDCongo e Uganda

Três elementos da missão das Nações Unidas na República Democrática do Congo (Monusco) morreram esta terça-feira na sequência de ataques ocorridos contra instalações da organização no leste do ...Três elementos da missão das Nações Unidas na República Democrática do Congo (Monusco) morreram esta terça-feira na sequência de ataques ocorridos contra instalações da organização no leste do ...

24.sapo.pt

g1.globo.com

Frentes da sociedade civil alegam que missão de paz não está protegendo a população das agressões das milícias

Cinco pessoas morrem em violento protesto contra missão de paz da ONU na RD Congo - A Referência

A Organização das Nações Unidas disse que o número de mortos e feridos ainda é desconhecido quando as forças de paz abriram fogo contra um posto deA Organização das Nações Unidas disse que o número de mortos e feridos ainda é desconhecido quando as forças de paz abriram fogo contra um posto de

Forças de manutenção da paz da ONU abrem fogo na República Democrática do Congo, causando várias vítimas | Notícias da ONU

Protesto teria sido motivado pela insatisfação de civis com supostas falhas da missão de paz no Congo em proteger a população de milícias locaisProtesto teria sido motivado pela insatisfação de civis com supostas falhas da missão de paz no Congo em proteger a população de milícias locais

Escritórios da ONU são invadidos por manifestantes no Congo | VEJA

O secretário-geral da ONU, António Guterres, disse neste domingo que ficou indignado com o incidente fatal envolvendo as forças de paz da ONU na República Democrática do Congo (RDC), na fronteira com Uganda, que custou a vida de duas pessoas. Militares da Brigada de Intervenção da força da ONU (Monusco) abriram fogo por razões não explicadas e forçaram a entrada do posto fronteiriço , informou a missão da ONU na RDC. Guterres manifestou-se triste e consternado com o incidente, ocorrido na localidade de Kasindi. Ele expressou com a maior firmeza a necessidade de estabelecer responsabilidades por esses fatos , e considerou conveniente a prisão dos militares envolvidos nesse incidente e a abertura imediata de uma investigação , indicou seu vice-porta-voz, Farhan Haq. Um vídeo compartilhado nas redes sociais mostra vários homens, entre eles um com uniforme da polícia e outro com uniforme do Exército, avançando em direção ao veículo da ONU no posto de controle de Kasindi, cidade localizada no leste da RDC, no território de Beni. Após uma troca verbal, os capacetes azuis parecem abrir fogo e cruzar a barreira na fronteira de Uganda com o veículo. O porta-voz do governo da RDC, Patrick Muyaya, ressaltou que as autoridades condenam firmemente e lamentam o incidente infeliz em que dois compatriotas morreram e outros 15 ficaram feridos, segundo um balanço provisório . A responsável pela Monusco, Bintou Keita, disse que estava profundamente impactada e consternada com esse incidente grave . Diante desse comportamento inqualificável e irresponsável, os autores dos disparos foram identificados e detidos, à espera das conclusões da investigação, que já começou, em colaboração com as autoridades congolesas. No começo da semana, três capacetes azuis e mais de uma dúzia de pessoas morreram durante protestos contra a missão da ONU em várias cidades na fronteira com Uganda. Os manifestantes criticam a Monusco por sua incapacidade de deter a violência e os ataques de centenas de grupos armados ativos no leste do país africano. O subsecretário-geral da ONU para as operações de paz, Jean-Pierre Lacroix, esteve no país africano ontem para discutir a situação com autoridades. “Estudarão fórmulas para que ambos possamos evitar esses incidentes e, sobretudo, trabalhar melhor conjuntamente para alcançarmos nossos objetivos”, destacou. Presente na RDC desde 1999, a Monuc (Missão da ONU no Congo), que se converteu em Monusco (Missão da ONU para a Estabilização na RDC) em 2010, conta atualmente com mais de 14.000 capacetes azuis e um orçamento anual de 1 bilhão de dólares.O secretário-geral da ONU, António Guterres, disse neste domingo que ficou "indignado" com o incidente fatal envolvendo as forças de paz da ONU na República Democrática do Congo (RDC), na fronteira com Uganda, que custou a vida de duas pessoas. Militares da Brigada de Intervenção da força da ONU (Monusco) "abriram fogo por razões não explicadas e forçaram a entrada do posto fronteiriço", informou a missão da ONU na RDC. Guterres manifestou-se "triste e consternado" com o incidente, ocorrido na localidade de Kasindi. Ele expressou "com a maior firmeza a necessidade de estabelecer responsabilidades por esses fatos", e considerou conveniente "a prisão dos militares envolvidos nesse incidente e a abertura imediata de uma investigação", indicou seu vice-porta-voz, Farhan Haq. Um vídeo compartilhado nas redes sociais mostra vários homens, entre eles um com uniforme da polícia e outro com uniforme do Exército, avançando em direção ao veículo da ONU no posto de controle de Kasindi, cidade localizada no leste da RDC, no território de Beni. Após uma troca verbal, os capacetes azuis parecem abrir fogo e cruzar a barreira na fronteira de Uganda com o veículo. O porta-voz do governo da RDC, Patrick Muyaya, ressaltou que as autoridades "condenam firmemente e lamentam o incidente infeliz em que dois compatriotas morreram e outros 15 ficaram feridos, segundo um balanço provisório". A responsável pela Monusco, Bintou Keita, disse que estava "profundamente impactada e consternada com esse incidente grave". "Diante desse comportamento inqualificável e irresponsável, os autores dos disparos foram identificados e detidos, à espera das conclusões da investigação, que já começou, em colaboração com as autoridades congolesas." No começo da semana, três capacetes azuis e mais de uma dúzia de pessoas morreram durante protestos contra a missão da ONU em várias cidades na fronteira com Uganda. Os manifestantes criticam a Monusco por sua incapacidade de deter a violência e os ataques de centenas de grupos armados ativos no leste do país africano. O subsecretário-geral da ONU para as operações de paz, Jean-Pierre Lacroix, esteve no país africano ontem para discutir a situação com autoridades. “Estudarão fórmulas para que ambos possamos evitar esses incidentes e, sobretudo, trabalhar melhor conjuntamente para alcançarmos nossos objetivos”, destacou. Presente na RDC desde 1999, a Monuc (Missão da ONU no Congo), que se converteu em Monusco (Missão da ONU para a Estabilização na RDC) em 2010, conta atualmente com mais de 14.000 capacetes azuis e um orçamento anual de 1 bilhão de dólares.

www.swissinfo.ch

Portal de notícias com informações de Rio Preto e região. DLNews é um veículo de imprensa 100% digital e se apoia em cinco pilares: independência editorial, jornalismo de qualidade, pluralidade de ideias, compromisso social e análise dos fatos feita por quem entende do assuntoPortal de notícias com informações de Rio Preto e região. DLNews é um veículo de imprensa 100% digital e se apoia em cinco pilares: independência editorial, jornalismo de qualidade, pluralidade de ideias, compromisso social e análise dos fatos feita por quem entende do assunto

Pesquisa - DLNews

africa21digital.com

Três membros da missão da ONU e pelo menos 12 manifestantes morreram na República Democrática do Congo, nesta terça-feira (26), no segundo dia de protestos contra a organização internacional.Três membros da missão da ONU e pelo menos 12 manifestantes morreram na República Democrática do Congo, nesta terça-feira (26), no segundo dia de protestos contra a organização internacional.

Três membros de missão da ONU e 12 manifestantes morrem na RDCongo

Três membros da missão da ONU e pelo menos 12 manifestantes morreram na República Democrática do Congo, nesta terça-feira (26), no segundo dia de protestos contra a organização internacional.Três membros da missão da ONU e pelo menos 12 manifestantes morreram na República Democrática do Congo, nesta terça-feira (26), no segundo dia de protestos contra a organização internacional.

Três membros de missão da ONU e 12 manifestantes morrem na RDCongo

Por Djaffar Sabiti e Fiston Mahamba GOMA, República Democrática do Congo (Reuters) – Três membros das forças de paz da ONU e pelo menos 12 civis foram mortos durante um segundo dia de protestos violentos contra a organização internacional no leste da República Democrática do Congo, nesta terça-feira, afirmaram autoridades. Os protestos foram provocados por […]

Protestos contra ONU no leste do Congo deixam ao menos 15 mortos - ISTOÉ DINHEIRO

Quatro manifestantes morrem eletrocutados no leste da RDC