1. Atividade econômica do Brasil cresce 0,54% em maio, indica BC  Investing.com Brasil
  2. Economia brasileira avança 0,54% em maio, aponta BC  Valor Economico
  3. Após quatro meses em queda, atividade econômica volta a subir em maio, indica BC  G1
  4. 'Prévia' do PIB sobe 0,54% em maio; em 12 meses, cresce 1,31%, diz BC  UOL
  5. Atividade econômica sobe 0,54% em maio  InfoMoney
  6. Ver cobertura completa no Google Notícias
Depois de retração em abril, a atividade econômica mostrou reação em maio, segundo dados compilados pelo Banco Central (BC) no seu Índice de Atividade Econômica (IBC-Br), divulgado nesta segunda-feira. O indicador aumentou 0,54% no quinto mês de 2019, após queda de 0,32% em abril (dado revisado de retração de 0,47%).Resultado do IBC-Br no período representa uma mudança de rumo ante abril, quando indicador cedeu 0,32%

Economia brasileira avança 0,54% em maio, aponta BC | Valor Econômico

Indicador aponta avanço de 0,54% na relação abril e maioIndicador aponta avanço de 0,54% na relação abril e maio

Atividade econômica tem primeira alta no ano em maio, indica BC - 15/07/2019 - Mercado - Folha

Em maio do ano passado, entretanto, a atividade econômica foi fortemente prejudicada pela paralisação dos caminhoneiros InfoMoneyEm maio do ano passado, entretanto, a atividade econômica foi fortemente prejudicada pela paralisação dos caminhoneiros

Atividade econômica sobe 0,54% em maio - InfoMoney

O IBC-Br (Índice de Atividade Econômica do Banco Central), considerado uma "prévia" informal do PIB (Produto Interno Bruto), registrou alta dO IBC-Br (Índice de Atividade Econômica do Banco Central), considerado uma "prévia&qu...

'Prévia' do PIB sobe 0,54% em maio; em 12 meses, cresce 1,31%, diz BC - 15/07/2019 - UOL Economia

403 Forbidden

Conhecido como uma espécie de prévia do PIB, o IBC-Br serve como parâmetro para avaliar o ritmo da economia brasileiraConhecido como uma espécie de prévia do PIB, o IBC-Br serve como parâmetro para avaliar o ritmo da economia brasileira

Após 4 meses, prévia do PIB indica primeira alta, de 0,54% em maio | EXAME