OIT: desemprego no Brasil não voltará ao patamar pré-pandêmico em 2022  UOL NotíciasVer cobertura completa no Google Notícias
Veja os artigos e notícias escritos por Jamil Chade em UOL Notícias. Confira as suas publicações maisi recentes.O desemprego no Brasil irá ceder apenas de forma marginal em 2022 e não retornará aos níve...

OIT: desemprego no Brasil não voltará ao patamar pré-pandêmico em 2022 - 17/01/2022 - UOL Notícias

A pandemia de covid-19 continua a causar estragos sobre o emprego em todo o mundo e um retorno aos níveis pré-crise pode levar anos, alertou a ONU nesta segunda-feira (17). A Organização Internacional do Trabalho (OIT) foi forçada a revisar em forte queda sua previsão para uma recuperação do mercado de trabalho este ano, em […]

ONU alerta que pandemia continua a prejudicar o emprego - ISTOÉ Independente

Organização avalia que níveis de desemprego persistirão acima do patamar pré-pandemia até pelo menos 2023Organização avalia que níveis de desemprego persistirão acima do patamar pré-pandemia até pelo menos 2023

Ômicron vai atrasar recuperação dos mercados de trabalho, diz OIT - Notícias - R7 Economia

g1.globo.com

Taxa de desemprego prevista para o Brasil é o dobro da média mundial, diz relatório da Organização Internacional do Trabalho (OIT)Taxa de desemprego prevista para o Brasil é o dobro da média mundial, diz relatório da Organização Internacional do Trabalho (OIT)

Bolsonaro deixará o Brasil com 14 milhões de desempregados em 2022, aponta a OIT - Brasil 247

O impacto das novas variantes nas economias e a incerteza quanto ao futuro da pandemia levam a OIT a estimar que, afinal, a recuperação do mercado laboral será mais lenta do que se antecipava.O impacto das novas variantes nas economias e a incerteza quanto ao futuro da pandemia levam a OIT a estimar que, afinal, a recuperação do mercado laboral será mais lenta do que se antecipava.

OIT prevê recuperação mais lenta do mercado laboral do que o esperado – ECO

A OIT prevê que, em 2022, o desemprego a nível mundial desça dos 214 milhões registados em 2021 para 206 milhões. 

OIT prevê que impacto das variantes atrase retoma do desemprego mundial