1. Lewandowski diz que cada prisão em 2ª instância deve ser fundamentada  O Antagonista
  2. Mônica Bergamo: Lewandowski vota hoje habeas corpus coletivo que beneficia Lula  Folha de S.Paulo
  3. Lewandowski deve abrir voto sobre prisão em segunda instância pelo TRF-4, que pode beneficiar Lula  Revista Fórum
  4. Segunda Turma deixa para plenário do STF decisão sobre prisão ‘automática’ na 2ª instância  O Antagonista
  5. Lewandowski vota por anular regra do TRF-4 que ordena prisão após condenação em 2ª instância  G1
  6. Ver cobertura completa no Google Notícias
Ricardo Lewandowski disse que cada prisão deve ser fundamentada, considerando as condições específicas do acusado, mesmo de um condenado em segunda instância...

Lewandowski diz que cada prisão em 2ª instância deve ser fundamentada - O Antagonista

O habeas corpus defende que a súmula do TRF-4 que autoriza a prisão depois de segunda instância de forma automática é inconstitucional. Cada detenção precisaria ser justificada individualmente O habeas corpus defende que a súmula do TRF-4 que autoriza a prisão depois de segunda instância de forma automática é inconstitucional. Cada detenção precisaria ser justificada individualmenteO habeas corpus defende que a súmula do TRF-4 que autoriza a prisão depois de segunda instância de forma automática é inconstitucional. Cada detenção precisaria ser justificada individualmente O habeas corpus defende que a súmula do TRF-4 que autoriza a prisão depois de segunda instância de forma automática é inconstitucional. Cada detenção precisaria ser justificada individualmente

Lewandowski deve abrir voto sobre prisão em segunda instância pelo TRF-4, que pode beneficiar Lula | Revista Fórum

Para Lewandowski, súmula do TRF-4 de prisão automática é inconstitucional.Para Lewandowski, súmula do TRF-4 de prisão automática é inconstitucional.

STF: HC coletivo que pode beneficiar presos da Lava Jato é afetado ao plenário - Migalhas Quentes

Em sessão da 2ª Turma do STF, o ministro Ricardo Lewandowski, votou pela concessão de um habeas corpus coletivo que poderia libertar o ex-presidente Lula; no entanto, a relatora, ministra Cármen Lúcia, sugeriu que o tema seja apreciado pelo plenário, antes de qualquer efeito

2ª Turma do STF decide enviar ação que poderia libertar Lula para o plenário | Brasil 247

Durante a sessão, decano do STF, ministro Celso de Mello, cobrou o julgamento do mérito de três ações que abordam o temaDurante a sessão, decano do STF, ministro Celso de Mello, cobrou o julgamento do mérito de três ações que abordam o tema

Ministros decidem que plenário deve analisar prisão em 2.ª instância e prolongam espera de Lula